• Vadis da Silva

Alquimistas do turismo brasileiro?

Atualizado: Mai 28

A hotelaria nacional tem em suas mãos as ferramentas e a oportunidade para assumir o protagonismo na condução do turismo doméstico, rumo ao seu renascimento, no pós-covid-19, transformando a sua ociosidade em energia para o renascimento do setor, no Brasil.


É senso coletivo que a implantação de rígidos protocolos sanitários, enquanto a imunização por vacinas não chegar à totalidade da população brasileira, são ferramentas fundamentais para, como meio, auxiliar no que for possível, à salvar vidas, bem como, na reativação da economia, inclusive a do turismo.


Reduzir o entendimento dessa reativação da economia, à apenas como uma retomada - "tudo como dantes no país de Abrantes" - é um erro abissal pois, obedecida a lógica, trará consigo além dos acertos, todos os erros do período pré-crise, bem como, implícito fica que, dela nenhuma lição terá sido apreendida para o aprimoramento das relações de negócios e de consumo no pós crise. Isto pode ser fatal, tanto para o futuro das empresas, quanto para o turismo doméstico nacional.


Segundo o presidente executivo do Visite SP e da Unedestinos, o paulista Toni Sando,

"Não teremos uma retomada. Teremos um renascimento! Um momento histórico que será marcado pela inovação, pela renovação e pela disrupção.”

Alinhado a essa perspectiva, tive a oportunidade de apresentar, na live da quarta-feira (26/05/21), de forma mais detalhada ao aqui exposto, um caminho alternativo para o turismo doméstico aproveitar este momento histórico, para se inovar e renovar de forma disruptiva.

(link para o vídeo no final do texto)


Uma fórmula mágica? um salvador da pátria? uma tecnologia mirabolante? Não. Longe disso!

Depois de muitos estudos e vivências no mercado nacional do turismo; de investimentos em P&D e desenvolvimento de sistemas tecnológicos com base na web, chegamos ao "elixir" - a uma solução relevante, porém simples, do que, por exemplo, deverá ser a solução para o desenvolvimento de uma economia verde e o mercado de carbono que serão soluções mandatórias para a recuperação econômica dos países pós-pandemia.


Para a alquimia se dar, é demandado do turismo a fusão de 3 ingredientes básicos: 1 - união do trade, com foco no fortalecimento do turismo doméstico 2 - vontade política, das lideranças empresariais e governamentais do setor 3 - tecnologia com base web, na vibe do universo da economia do compartilhamento


Where's the money... você deve estar se perguntando. Acredite, este ingrediente não faz parte da fórmula. O difícil e oneroso já está feito, e bem feito. Sim, pequenas pitadas desse ingrediente, a qualquer tempo, podem ser adicionadas à fórmula apenas para melhoria, ainda maior, dos resultados. Isto fica a critério de cada alquimista do trade.


Abaixo, o quadro esquemático da fórmula para essa alquimia:

O resultado final - o "elixir" - que é o renascimento do turismo doméstico pós-covid-19 poderá ser alcançado na fusão dos três ingredientes da alquimia, em três momentos, representados no quadro esquemático acima. São eles:


Momento 1 - A fusão dos ingrediente 1 e 2, representados na parte azul superior;

Momento 2 - A inclusão do ingrediente 3, representado pelos conjuntos de funis que formam o e-Marketplace Cooperativado do Turismo Brasileiro;

Momento 3 - Os resultados finais - representados pelas projeções financeiras dos novos recursos que poderão ser obtidos a partir da desova da oferta ociosa.


Os resultados ali projetados evidenciam que o turismo, a partir do seu segmento de meios de hospedagem - se fizer a mesma coisa de forma diferente, para obter novos resultados -, terá êxito. Serão R$9,1 bilhões injetados no setor, apenas com a adoção de uma nova postura no trato da oferta ociosa de room nights - dinheiro que vinha sendo deixado na mesa -, anualmente, anterior ao período pandêmico.


O desafio que se apresenta para os alquimistas do turismo, em especial os da hotelaria brasileira, é o de fazer a leitura correta desse momento histórico, assumindo com coragem e ousadia uma postura inovadora, disruptiva e, se constituir em protagonistas na condução do turismo doméstico brasileiro ao seu renascimento, com vista a preparação do setor à reativação da economia, para o pós Covid-19. "Alea jacta est" - a sorte está lançada! bradaria também hoje o Imperador romano, Júlio César.

Serviço: CLIQUE AQUI para assistir o vídeo com a gravação, na íntegra, da live realizada no dia 26/06/2021, com o tema: O renascimento do Turismo pós Covid-19: Quem deve liderar essa corajosa transformação?


2 comentários