• Vadis da Silva

Presença web do comércio eletrônico do turismo do Brasil em 2020

Atualizado: Jan 3

O ano de 2020 foi um “ano virtual”. Foi um “ano digital”. Foi um ano em que nos sentimos, todos, obrigados a fazer, na prática, para sobrevivência pessoal ou de nossos negócios, uma imersão no mundo das tecnologias e no universo das redes sociais.


Nesta busca de entendimento de como o mundo virtual funciona e como ele poderia ser útil para cada um de nós neste momento, pôde ser sentido de imediato, que de nada adiantaria se promover no mundo virtual, sem dele fazer parte - estar presente.


Simplesmente se promover no mundo virtual com publicações orgânicas em feeds ou stories das mídias sociais, ou mesmo, fazendo investimento na compra de tráfego via Facebook e Google Ads, de nada, ou quase nenhum efeito produz se não se têm uma organizada e consistente presença web. A divulgação pura e simples tem o mesmo impacto ao de ser jogado, de avião, material impresso (com informação, contrainformações ou notícias) sobre uma população, num território em guerra. Ter páginas indexadas (passo 1) pelos mecanismos de busca, especialmente pelos dois principais neste universo, Google e Bing, é pré-requisito básico – afinal, como o seu negócio será ranqueado (passo 2) e, com isso encontrado pelos internautas (passo 3), se não estiver presente nesses mecanismos, que hoje funcionam como principal fonte de tráfego para todas as lojas virtuais? A pergunta que não quer calar.... Como o mercado do turismo brasileiro, comercial e institucional, está presente neste contexto? (sobre este tema, tratarei no próximo post). E, qual é o desempenho, nesse quesito, das lojas virtuais do turismo com atuação no mercado nacional?


A Gestour Brasil - www.gestour.com.br - levantou esses dados sobre as lojas virtuais do turismo brasileiro. Para isso foi levado em conta, exclusivamente, o desempenho de cada uma (total de resultados encontrados), no Google e no Bing, no dia 30/12/2020.

Notas:

1 - Os resultados aqui apresentados são públicos, fornecidos pelas próprias ferramentas de forma gratuita. À Gestour Brasil apenas estruturou o ranking da forma aqui apresentada;

2 - Foram selecionadas as 15 lojas virtuais do turismo, independentemente do modelo de negócios de cada uma, com atuação no Brasil e com o maior desempenho de resultados junto as duas ferramentas;

3 - A Airbnb, mesmo não sendo regulamentada pela legislação brasileira do turismo foi acrescentada neste ranking, por dois fatores: (1) por estar sendo ela acreditada por alguns empreendedores do setor de meios de hospedagem e, (2) por ter um considerável desempenho nos seus resultados (páginas sobre o mercado brasileiro) junto aos buscadores;

4 - Não foi possível acessar resultados públicos, exclusivamente do Brasil, das OTAs - Booking, Decolar e Hurb. Desta forma, os resultados aqui apresentados são globais.


Posts recentes

Ver tudo